segunda-feira, 28 de setembro de 2009

JUVÊNCIO, O DELEGADO E O ARGENTINO

Nosso velho amigo Juvêncio, o "taura do Jarau", apesar de grosso, era um homem de bons princípios e não tinha por hábito esquivar-se de suas responsabilidades, como aliás, convém a qualquer militar que se preze.

Foi por isso que, tendo se envolvido num acidente enquanto viajava de Itaqui para Uruguaiana, mesmo sem testemunhas, resolveu parar na delegacia mais próxima para comunicar o ocorrido.
Assim, nosso guasca entrou na policia em Uruguaiana e foi direto ao delegado:
-Tchê, vim me entregar, cometi um crime e tenho que pagar por ele, se não vou ficar mais abichornado que urubu em tronqueira.
- Meu senhor, as leis aqui são muito severas e são cumpridas! Se o senhor é mesmo culpado, não haverá apelação nem dor de consciência que o livre da cadeia.
- Pois então, vivente! Atropelei um argentino na BR-472, perto de Itaqui..
- Ora meu amigo, como o senhor pode se culpar se estes argentinos atravessam as ruas e as estradas a todo o momento?
- Mas ele estava no acostamento.
- Se estava no acostamento é porque queria atravessar, se não fosse o senhor seria outro qualquer.
- Mas tchê, nem avisei a família do homem, sou um crápula, mereço apodrecer na cadeia!
- Meu amigo,continuou o delegado, se o senhor tivesse avisado haveria manifestação, repúdio popular, passeata,repressão, pancadaria e morreria muito mais gente, acho que o senhor é um pacifista, que merece uma estátua.
- Eu enterrei o infeliz ali mesmo, na beira da estrada, insistia Juvêncio.
- O senhor é um grande humanista,quem mais iria enterrar um argentino???? É um grande benfeitor, pois outro qualquer o abandonaria ali mesmo, para ser comido por urubus e outros animais, provavelmente até sorros.
- Mas tchê, enquanto eu o enterrava, ele gritava : Estoy vivo, estoy vivo!
- Garanto que era mentira dele, esses argentinos mentem muito!!!!
(adaptação de texto de domínio público)

3 comentários:

  1. ayrton luiz balsemão13 de junho de 2010 18:44

    Pois olha: a estorinha é engraçada. Ninguém pode achar ruim o deboche com os argentinos. Existe essa rivalidade, mas no fundo somos todos hermanos. No fundo todos admiramos uns aos outros. Eles apreciam muitas qualidades dos brasileiros e vice-versa. E ponto final. Estorinhas como essa servem só pra descontrair.

    ResponderExcluir
  2. Incrivelmente, eu já vi pessoas, entre as classes menos cultas da pupulação que, naquela região, tem exatamente essa indole, de falar abertamtne o que fez, ainda que seja erro serio, na busca de um socorro, uma contextualização do fato e ato, sem ter a noção do resultado para sí....
    EM SUMA:
    A historia me parece contextualizada com o legado psicologico da região!

    ResponderExcluir
  3. morei por sete anos em uruguaiana! ou cumpri pena lá! como queiram! lá os correintinos são personas muy amables! quando não batem no teu carro! e quando tu vais comprar uma carne ou uma cervja de litro! lá... eles te tiram o couro! kkkk
    esse causo demonstra o que as autoridades lá amam los "HERMANOS"
    kkkkk! é a mesma de quando Jesus disse! hoje um de voces me traira! e juda Hablou! por acaso serey jo señor!kkkk

    ResponderExcluir

Os comentários estão sujeitos a aprovação pela moderação.